Arte Programa

F# e sua poderosa Inferência de Tipos

publicado em: 27 de Julho de 2012

 Já faz algum tempo que não escrevo no Blog, andei estudando muito, muitas andanças pelo mundo das linguagens de programação e trabalhando muito também. Após este período acho que vale a pena retornar a escrever para falar de algumas descobertas muito legais.

Muitas são as inovações que vieram com o lançamento do Visual Studio 2010 entre elas, o F# que é a mais nova linguagem da plataforma Dot.NET, suportada integralmente pela Microsoft, cidadão de primeira classe junto com os já consagrados C# e VB.NET.

Todas as inovações trazidas pelo advento do C# 3.5, especialmente em relação ao Linq, como Expression Trees, introdução da keyword var (Type Inference), Lambda Expressions entre outras, que tornaram possível escrever código C# de modo mais funcional são fruto do subsídio em idéias da equipe que nos trouxe posteriormente essa excelente ferramenta.

E porque digo que é uma excelente ferramenta? Não sou um expert em linguagens de programação, mas tenho me interessado em como estas ferramentas que tanto nos auxiliam na resolução de problemas podem melhorar a nossa produtividade e diminuir erros e falhas e neste sentido F# se destaca.

Dica Rapida - Documentação das Gems

publicado em: 01 de Outubro de 2011

Uma dica rápida interessante: Para acessar a documentação de todas as rubygems instaladas em seu sistema, basta rodar o seguinte comando: gem server e acessar localhost:8808.

Como reutilizar Código facilmente - Rails Engines

publicado em: 12 de Setembro de 2011

Uma característica interessante que foi a implementação a partir da versão 2.3 do Rails das funcionalidades do Rails Engine Plugin.

É possível embarcar uma verdadeira aplicação rails dentro de outra aplicação através de um plugin ou gem.

Supondo que temos um blog e um sistema de e-commerce ( exemplos tirados do ASCIIcast episódio 149 ) e que queiramos adicionar o blog ao sistema de e-commerce. Seria possível fazer isso de várias maneiras, entre as quais copiar e colar os controllers, models e views e seus respectivos diretórios quando houvessem ( como no caso das views ) para a aplicação principal e colar as rotas da aplicação secundária que queremos utilizar no arquivo routes.rb da aplicação principal.

Mas podemos fazer diferente, de forma mais simples, através destas novas funcionalidades. Para isto basta:

Inauguração do Blog

publicado em: 08 de Junho de 2011

Está inaugurado o Blog da ArtePrograma.

Será um espaço para discutir Tecnologia, Desenvolvimento Web, Sofware Livre, Ruby On Rails, Ruby, Programação, que mais ...

Coisas legais como estas hehe.